Beleza, perfeita. será que precisamos nos encaixar nos padrões?

Vamos mais uma vez falar de padrões de beleza. A recente indignação de Preta Gil, com a adulteração de uma foto sua para uma capa de revista. Vale lembrar que preta tem vários  pré requisitos para ser discriminada. Mulher, pele parda, números a mais na roupa, mas isso não a abala.  Preta se mantém linda e absoluta contra o preconceito de todos os tipos.  Se proclamou  contra o absurdo nas  redes sociais:

“Em estado de choque! Não tem como não me indignar… O Photoshop foi feito por conta própria. Aí esta o resultado !! A foto original esta linda, nem precisava de grandes ajustes. Pra que isso? Que vergonha!!! O trabalho de todos os profissionais envolvidos foi comprometido. Infelizmente essa que está na capa da Revista não sou eu!!”

Haverá um fim dos padrões de beleza?

 Isto mostra que aquela historia de aceitar as pessoas como elas são, ainda esta longe de ser real. Não tem como negar fingir, ou mesmo se esquivar; existe e possivelmente sempre haverá um padrão de beleza. Hoje temos muitos movimentos que buscam recuperar a estima e os direitos de grupos que passaram sua existência no esquecimento. Negros, gays, plus size, todos estes grupos buscam direitos e aceitação. Ainda assim isto não fez desaparecer a ideia de um padrão de beleza e as pessoas continuam tentando se adequar a tais padrões.

supervenus, filme critíca padrões de belezaA  constante mudança de cor de cabelos, que muitas vezes culmina no aloiramento das mulheres  [nada contra loiras] apenas para pensar que o natural esta cada vez menos em voga e impera o artificialismo do belo. Algo que de certo modo é mostrado em Supervenus, de Frederic Doazan curta premiado no festival de curtas de Bruxelas. O mais engraçado é que este texto já estava quase pronto quando descobri a existência do vídeo e ele veio para somar as ideias. Tudo isto serve para mostrar que a constante transformação e busca por adequação é algo que deva ser pensado. Para finalizar entendam que não sou contra quaisquer modificações que mulheres façam, ou mesmo possam fazer em si mesmas na busca pela felicidade. O grande problema e não ficar feliz nunca e que as mudanças nunca parem. O que nos tornaremos? Recentemente li um depoimento impressionante no Lugar de mulher que falava de todo o sofrimento passado por uma leitora por não se encaixar nos famosos padrões, se quiser ler é só clicar no link:  vergonha do corpo. O que também gerou aqui o texto Não seja responsável pela tristeza de outra pessoa

Não seja responsavel pela tristeza de outra pessoa
Não seja responsavel pela tristeza de outra pessoa

Seja bela, seja feliz, mas antes seja feliz por você mesma sem a necessidade de se encaixar em padrões. Se você gostar de si mesma e buscar mudanças estará sempre bem, mas se buscar mudanças para gostar de si mesma pode ser que seja sempre infeliz, pois os padrões sempre mudam e nós quase nunca nos encaixamos neles.

Gostou curta nosso facebook

Siga-nosso Twitter

compartilhe com as amigas

E deixe seu comentário abaixo.

Facebook Comments

Você pode gostar

compartilhe
Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta