Você sabe como escolher o seu guarda-roupa profissional? Pois saiba que nem todas as mulheres sabem como se vestir para passar uma boa impressão no trabalho. A roupa diz muito sobre quem você é, e escolher as peças erradas pode passar uma impressão equivocada, comprometendo o seu salário, uma promoção e o desenvolvimento da carreira de uma forma geral.

Para escolher as peças do seu guarda-roupas profissional, é preciso aliar quatro elementos básicos: orçamento compatível, estilo próprio, adequação aos padrões da empresa, atualização – colocamos aqui “atualização” não apenas para indicar a importância de estar na moda, mas de usar as tendências para montar o seu próprio estilo. Afinal, ninguém precisa ser escravo das tendências, mas usá-las com sabedoria. Confira algumas dicas para escolher o seu guarda-roupa profissional!

Guarda-roupa profissional: Tudo o que você precisa saber para montar o seu

A moda e a autoimagem

Se a moda é uma forma de demonstrar quem somos, a autoimagem é aquela visão que fazemos de nós mesmas. O primeiro passo é compreender de que forma você se vê e conferir se a mensagem que está passando para as pessoas através de suas roupas é condizente com quem você de fato é.

Conhecendo-se bem, você saberá determinar o seu estilo próprio, inclusive adaptá-lo para o ambiente de trabalho. Outro ponto a considerar é o seu biotipo – nem todas as peças ficam bem em todo mundo.

Básicos para todos os dias

Após conhecer os padrões da empresa (algumas até têm regras específicas quanto ao vestuário) e conhecer o seu estilo, é hora de definir o seu orçamento (mensal ou esporádico) para a aquisição de novas peças. Ter uma parcela definida dos seus ganhos para compor o seu guarda-roupas para trabalhar é muito importante, uma vez que roupas também são um investimento para a sua carreira e para o seu bem-estar. Tenha também algumas peças mais sofisticadas para ocasiões especiais – reuniões importantes, entrevistas de emprego, etc.

Escolha estratégicas das peças em seu guarda-roupa profissional

Comece a escolha das suas peças pelas mais básicas do seu guarda-roupa profissional: camisas comuns, camisas sociais, meias em cores neutras, calças (jeans ou de alfaiataria), casacos leves, ternos, casacos pesados, saias, etc. Escolha 10 itens básicos e neutros para cada estação. Em seguida, faça o mesmo com os acessórios – sapatos, sandálias, bolsas, etc. Pense de forma estratégica para que as peças combinem entre si.

Agora, multiplique cada item pelos dias de trabalho da sua semana: por exemplo, se você selecionou a calça de alfaiataria preta como item básico, multiplique por 5 (dias úteis da semana ou os dias em que trabalha) – escolhendo variações de cores, texturas, modelos, etc. Esta seria uma condição “ideal” para o seu guarda-roupa para trabalhar, mas se as suas condições não permitem, tente chegar em um número aproximado – isso considerando o desgaste das peças em longo prazo e a adequação ao orçamento. Desta forma, terá opções para variar. Na hora de comprar, aposte na qualidade das peças – o barato na maioria das vezes sai caro e nem todas as peças boas custam fortunas.

Escolhendo as cores

Aposte em peças neutras – elas combinam com tudo e otimizam o seu orçamento. Prefira cores neutras como o preto, grafite, cinza claro, bege, cáqui, marrom, creme (nude), branco, etc. O mesmo vale para os sapatos femininos.

Não se esqueça das roupas de baixo e meias: bege, cor de pele, preto, branco ou cores – as cores mais neutras não se destacam em peças transparentes. Tenha um conjunto para cada dia de trabalho e outras peças em caso de necessidade – todas em ótimo estado e que garantam total conforto.

Imagem: Pinterest

comente com Facebook

Você pode gostar

compartilhe