Mulher é tudo vaca ? – Músicas machistas 2

Mulher é tudo vaca ? – Músicas machistas 2

Eram os anos 90 o grupo humorístico Casseta & Planeta estava em alta, com sua irreverência e suas piadas clichê. Naquela época eu com meus 15 anos não possuía tanto discernimento quanto hoje. Era  ainda muito caseiro e minha relação com o mundo era escola, TV e rádio já que não fui muito de ficar pelas ruas. (mais…)

Você pode gostar

Facebook, bloqueia capa de novo album de Simone Mazzer

Facebook, bloqueia capa de novo album de Simone Mazzer

Talvez você não conheça Simone Mazzer, confesso que eu mesmo não conhecia até pouco tempo atrás. Simone é cantora e atriz, apareceu em A Lei do amor como a detenta Zélia. Bem a cantora teve sua rede social o bloqueada esta semana por causa da capa de seu novo CD. (mais…)

Você pode gostar

Você precisa conhecer Baddie Winkle a vóvo do Instagram

Você precisa conhecer Baddie Winkle a vóvo do Instagram

Se vocçê acha que internet, facebook, instagram e coisa de gente jovem vamos concordar com vocês. Porém vamos mudar um pouco dizendo que é coisa de pessoas com uma mentalidade jovem. Sendo assim você precisa conhecer Helen Winkle, ou Baddie winkle, como é conhecida na internet. (mais…)

Você pode gostar

Bruninha Antonucci

Bruninha Antonucci

Olá leitores e leitoras do Tudo no Salto, meu nome é Bruna Antonucci, Psicologa,  ariana intensa,  mega hiper  super apaixonada pelos livros e por viajar ( principalmente pra onde tenha cachoeira e sol), dona de uma ainda humilde biblioteca ( com o sonho de ter uma imensaaaa), mineirinha adoradora de pão de queijo e de um bom papo acompanhando o entardecer de Beo Zonte!!

Irei tentar resumir pra vocês as deliciosas historias que leio e espero que gostem e acompanhem!!

Você pode gostar

mulheres fantásticas #2 Carolina maria de Jesus

mulheres fantásticas #2 Carolina maria de Jesus

carolina-maria-de-jesusNesta semana resolvemos trazer na nossa série mulheres uma brasileira. Sim trazemos Carolina Maria de Jesus. Carolina Maria de Jesus é uma escritora brasileira, nascida em Nascida em Sacramento/MG e filha de Meeiros (Agricultores que moravam na terra e cultivavam para o dono), Com 7 anos frequentou a escola quando uma fazendeira rica da região resolveu pagar a escola das crianças da região, com isso Carolina estudou até o segundo ano. Sua mãe tinha dois filhos fora de um casamento por este foi expulsa da igreja, o que não impediu a Carolina de ser uma mulher devota, o que pode ser vista em seus textos. Mudou-se para SP, 1947 afim de buscar crescimento e melhorar de vida.

Carolina Maria de Jesus e seu : Quarto de despejo

Carolina trabalhou em uma casa de família, em SP.  Nos dias de folga frequentava a biblioteca da casa. Porém após engravidar de um relacionamento efêmero perdeu o emprego. Assim Carolina construiu um barraco favela do Canindé, a noite saia as ruas para catar papelão e sustentar a família.  Em suas andanças juntava todas os folhas em branco e cadernos antigos que encontrava; neles começou a anotar todo o seu cotidiano e dos entorno da favela. No ano de 1960 conheceu por acidente o jornalista Audálio Dantas, que a descobriu como autora. Assim “Quarto de Despejo, o diário de uma favelada” foi lançado  A primeira tiragem do livro foi um sucesso esgotando-se rapidamente em cerca de uma semana. Quarto de despejo foi traduzido para 13 idiomas e vendido em cerca 40 países. 

carolina-de-jesus

Porém o sucesso de seu livro acabou trazendo problemas com seus vizinhos já que esta registrava o cotidiano de tudo que acontecia ali. Os mesmo se indignaram com o fato de ela ter escrito sobre sua vidas. Com o dinheiro recebido por seu livro pelo livro Carolina mudou-se com seus filhos para uma pequena casa no subúrbio. Apesar do sucesso de seu primeiro livro, seus livros posteriores não receberam o mesmo tratamento e Carolina Maria de Jesus morreu aos 62 anos pobre.

Carolina mesmo tendo estuda somente até a segunda série do primário conseguiu se tornar um das maiores escritoras brasileiras. Mesmo não tendo o devido reconhecimento. Seu livro “Quarto de despejo” mostra sua capacidade critica de observar a vida e os acontecimentos ao seu redor e não simplesmente aceitá-los, além disto demonstra sua sensibilidade e poética distinta de outras pessoas.

“Escrevo a miséria e a vida infausta dos favelados. Eu era revoltada, não acreditava em ninguém. Odiava os políticos e os patrões, porque o meu sonho era escrever e o pobre não pode ter ideal nobre. Eu sabia que ia angariar inimigos, porque ninguém está habituado a esse tipo de literatura. Seja o que Deus quiser. Eu escrevi a realidade. Carolina Maria de Jesus

Carolina foi uma das primeiras mulheres a identificar e se levantar contra a violência contra a mulher. Apesar de ter 3 filhos de relações diferentes, nunca se casou para não ter que dar satisfações a ninguém e nem ter seus sonhos podados. Vale ressaltar que se hoje as mulheres ainda não recebem o respeito e direitos que lhe são devidos tão pouco em sua época isso era um pensamento.  Um escritora sensível, visceral e necessária, assim descrevo Carolina Maria de Jesus. Seu texto configura a luta de toda a classe feminina e mais ainda da mulher negra. Por todos estes motivos escolhemos Carolina Maria de Jesus para o 2º Mulheres Fantásticas, mas há muito sobre ela que merece ser dito. Por este motivo indicamos o texto: Carolina Maria de Jesus  Se gostou deste texto que fazer sugestões e ou críticas, deixe um comentário abaixo. Obrigado!

Você pode gostar

Simone Leal

Simone Leal

12541109_996721253733453_9157932699582831230_n

”Simone Leal, 24 anos, de Curitiba, no Paraná, formada em jornalismo em 2013. Entrei no mundo da comunicação trabalhando no rádio, mas desde 2011 sou apaixonada por escrever para a internet. Adoro conhecer e acompanhar as tendências de beleza e moda. Mas, acima de tudo, acredito que a melhor tendência é aquela que nos faz sentir bem por dentro e por fora.”

 

Você pode gostar

Show Buttons
Hide Buttons