O suicídio de Fernanda Torres

Na terça feira 22/02/16 um texto de Fernanda Torres cometeu um suicídio perante o público feminino ao menos para as feministas. Em sua coluna na Folha publicou  texto causou frisson e muita indignação nas mulheres pelo Brasil.

No texto intitulado MULHER , a atriz fala sobre as diferenças entre homens e mulheres na sociedade expondo suas opiniões sobre machismo, feminismo e seus resultados dentro de uma sociedade. Infelizmente e sem perceber (prefiro acreditar que foi em perceber) Fernanda mostrou um lado extremamente machista, defendendo e reforçando certos aspectos de nossa sociedade com a crença de que estas características são biológicas e não culturais. Quando diz:

Um homem, seja ele pobre, rico, preto ou branco, baixo, alto, feio ou bonito, dorme quando está cansado, sai quando deseja e dá prioridade à própria agenda, sem nenhuma pressão que não a da vontade…

…Invejo o companheirismo dos homens, o prazer que eles sentem de estarem juntos e se divertirem com qualquer bobagem. Homem gosta muito de estar com homem. Não me incomoda o machismo, confesso, talvez seja uma nostalgia de infância que carrego. A geração que me criou era formada por machões gloriosos, de Millôr a Miéle, irresistíveis até nos seus preconceitos…

Ao dizer estas frases é como se ela dissesse que é um direito do homem fazê-lo. E isto não tem nada haver com a verdade, um homem que sai quando quer e valoriza sua própria agenda quando esta em uma relação, nada mais é que um egoísta. Não esta limitado a questão biológica, mas a uma cultura que se faz perpetuar de pai para filho. Muitas as vezes reforçada pelas próprias mães, que ensinam seus filhos a ser uma copia do pai porque acredita que homem é assim. Aquela mãe e avó que serviram de esteio a família deveriam significar muito mais do que uma mulher abandonada. São guerreiras que merecem mais respeito que o irresponsável que a abandonou a prole.  Quando alguém  diz que a obrigação da mulher é cuidar da casa, educar os filhos, ou mesmo que mulher tem de se dar o respeito. Esta retirando o direito da mulher de ser livre e o dando ao homem. 

Claro que existem diferenças biológicas entre homens é mulheres e isto é inquestionável,  o relógio biológico citado é um fato, mas quando falamos de formas de agir acredito muito mais que estas diferenças são culturais e não fisiológicas. Séculos de repressão, de reforço psicológicos, e de heranças culturais é isto que  forma e deforma uma nossa sociedade. 

Lembro muitas vezes de observar minha mãe ensinando a meu irmão como agir.

” Meu filho você pode pegar quantas mulheres quiser, elas é que devem se cuidar.”  

UmaFernanda Torres - mulher sendo cantada ideia Puramente machista, mas em sua cabeça era assim que o mundo girava. Não vou e nem posso incriminá-la, pois ela não tinha a instrução necessária. Já disse e repito, machismo é uma herança cultural que vai passando de pais para filhos. Não vou dizer que seu contrário feminismo é também a solução, mas creio que seja ao menos um caminho para diminuir as diferenças e buscar a igualdade entre homens e mulheres. Mas repito que esta deve ser uma busca continua e que deve ser feita em conjunto, com membros dos dois lados. O texto de Fernanda Torres toca em muitas feridas, quando ela diz de sua baba a negra que fazia os homens uivarem por onde passava, o que ela acreditava ser um poder.  Ela esqueceu porém  de perguntar o que Irene achava disto? Será que se sentia feliz com vários cães no cio ganindo por onde passava? Pelo que vejo por ai as mulheres não são muito felizes com isto. Não poderem sair a rua sem serem cantadas, parece um martírio e a obra tem nuances de desespero. E preciso repensar essas relações Fernanda é preciso repensar o homem, é preciso repensar a mulher. Talvez seja preciso que você se repense. 

E você o que acha desta polêmica? O que achou do texto de Fernanda Torres? Deixe sua opinião abaixo compartilhe suas ideias conosco

 

comente com Facebook

Você pode gostar

compartilhe